quinta-feira, 3 de julho de 2008

Foi

Ex- amor,
Deixo-te filhos feios,
Um câncer
E promessas de compra e venda.
Deixo-te versos,
Pelos quais voam,
Pássaros mortos,
Batendo asas flácidas,
Planando vôos tranquilos.
Amor,
Deixo-te
Ex.

9 comentários:

Heyk Pimenta disse...

Que contente de ser o primeiro:

Bicho, eu acho que arrebentou.

Pra quem esconde os poemas, vem com esse papo de prosinha, não sei quê, esse é um bom poema.

Eu tiraria essas vírgulas desnecessárias e tal

"Deixo-te versos,
Pelos quais voam,
Pássaros mortos,
Batendo asas flácidas,"

essas vírgulas são meios mentirosas. tira, que vai ver que são só enfeite, que pode inclusive atrapalhar na frase.

Mas eu gostei muito, e acho que vai pegar o apelido de a contista do filme trash. Vai mesmo, uma coisa de contista do árdio movie stile assim.

Pô, vc conseguiu conciliar ótimas imagens ruins, desconfortáveis. E é legal que a coisa das promessas de compra e venda e os vôos tranquilos dão um teor de legitimidade pra esse desconforto que é bem legal. Bom conjunto

Tata Marques disse...

...dorei!

isaac disse...

oi rachel

po eu dou maior valor ás poesias que causam esse desconforto, esse incômodo-antibiótico, dizimando as bactérias do calmo.

isso tem valor ! neste breve poema ocorre isso, esse cagaço visceral de acontecer com a gente - e transmitir isso em poucas linhas é mérito, vai alto vai alto.

abraçãos, farei novas visitas !

Rachel Souza disse...

Queridos,
Não me é de hábito comentar os comentários, mas vosmicês estão modificando meu pensar...rsrs
Obrigada pelos pitacos, são bem-vindos! Voltem sempre e obrigada pela preferência!
Evoé!

william disse...

Essa linha tênue do amor ao ódio. Um poema sem lisura, só arestas . Cheio do desconforto para qual o Issac já tinha atentado.
Curto e raivoso.
Beijo.

Rachel Souza disse...

William,
"ódio"?rs Azedume talvez...
Bjo!

Mariá disse...

nossa... que facada, hein?

Felipe Malta disse...

Foda!

Fábio Torres disse...

Ô, mulher ácida!!!!! rsrsrsrs....