segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Catarse Estética

Sonho
Reminiscência de desejos remanescentes
Re-des-cobrimento imagético
Re-des-construção
Imanência que leva à transcendência
Luzes, cores, movimentos
Cenas costuradas
Por espasmos oníricos
Fragmentos de um pretérito- presente- futuro- mais- que- imperfeito
Linguagem decodificada
Simulacro furta-cor
De realidade silenciada
Metáforas
Pulsando vivas
Sobre o super 8.



*Prometo e cumpro! Sou mulé de palavra!rs Havia comentado no último post que pretendia junto com um amigo, fazer um curta de uns 15 minutos e tal. Faltou desenvolver o roteiro da idéia, só consegui o poema.

5 comentários:

filipe araújo disse...

Legal que isso me lembrou o modelo Stanislavski,onde o ator estuda a memória emotiva para construir um personagem...
O ator tem que lembrar de sentimentos e situações diversas (boas ou ruins) e captar tudo isso,para reaprender a “agir”( falar,andar,se expressar)...,enfim...gostei o texto
Toda a sensibilidade da rachel ,rs

filipe disse...

e monta um roteiro sim,tem várias coisas que leio aqui,que dariam ótimos roteiros...

william disse...

Como o último texto este poema também caminha pelo "imagético" no entanto o poema me parece mais 'cerebral" mais atento à linguagem, não é casual o título.

Victor Meira disse...

É um começo.
Já tem alguma idéia mais concreta do roteiro?

Heyk Pimenta disse...

já tá aí o argumento do curta, umpoema é um bom argumento pra quase tudo, né?

Viu como a gente é diferente ao vivo?

Caceta.