terça-feira, 18 de março de 2008

Esquecida num canto




Gotas caem no chão a todo momento, o teto está rachado.
Um pequeno lago se forma ao lado da cama, mais um pouco e vira um rio...
Não sei nadar, não tenho dinheiro. o chão, de madeira velha,está descolado,furei o pé dia desses.Agentes sanitários estiveram ontem aqui em casa,disseram que não penso no coletivo,que deixo água parada e isso dá dengue. Foda-se! Tenho 89 anos e não vou ficar movimentando a água por causa de um mosquito desgraçado, todavia, peguei uma colher de pau que usava na época em que fazia doce de abóbora e comecei a sacudir na poça. Falando em doce, fiz um de banana pra você,filho. Vem buscar quando? Há 10 anos que guardo a compota, vai estragar.

#foto achada na internet.

6 comentários:

eduardo disse...

Gostei. Humor inteligente!!!

Angela disse...

Obrigada pela visita Rachel.
Gostei muito deste texto. Você, tão moça, parece sacar bastante a velhice. Triste e bonito ao mesmo tempo... esperar este filho que não vem, com um doce!

Fernando Farias disse...

Adorei teu blog.
Humor, inteligencia e bom gosto. Um texto leve e gostoso.
parabéns menina

Tiana de Souza disse...

Visitei seu blog pela primeira vez. Li esse texto, gostei.

Gustavo do Carmo disse...

Gostei da reação da velhinha com a paranóia da dengue.rsrsrs

Felipe Malta disse...

Ai!!
Triste esse, mas bommm.