terça-feira, 1 de abril de 2008

Aguardo


As paredes eram brancas, as cortinas tinham respingos de tinta que disseram nunca mais sair. Algumas moscas sobrevoavam o abajur velho que sua tia nos deu, ela sempre sorria com simpatia assim que eu percebia seus olhares. Velha lésbica e tarada!
Você disse que se esforçaria para estar aqui às cinco, já são sete e meia e não suporto mais o tédio.O Silêncio da vizinhança me incomoda e provoca brotoejas, queria um pouco mais de barulho, um pouco mais de vida. Não tenho aparelho de som, você não chega.
A falta é lasciva e indecente, te espero.

http://olhares.aeiou.pt

4 comentários:

eduardo disse...

Uma cena de um filme, belo conto...

Wellington Oliveira disse...

Minha escritora favorita...

Felipe Malta disse...

Gostei de tudo, texto e imagem em conexão muito boa.

Mana Malta disse...

Velha, lésbica, tarada!!!!
Adorei rsrsrsrs
To add seu blog aqui!