terça-feira, 6 de maio de 2008

Olhe!

Doces grandes olhos

Com olhar de mar.

Profundos e tristes.

Marejam sem quem nem porquê.

Olhos mirantes de céu rogando chuva

Olhos perdidos-achados em vem-não-vai,

Quase sempre nunca é tarde.

Sinta!Sinta o ar livre,

Passando entre dedos,

Abraçando seu corpo caminho

Contido em danças melancólicas.

Grandes doces olhos com mar no olhar,

Sê olhos doces grandes com

Mar de olhar, por mim.

6 comentários:

eduardo disse...

Lindo!!

Sylvia Regina Marin disse...

Palavras belas e profundas, como o próprio mar.
Beijos.
Sylvia

Imcompreendida disse...

Lindo!!! "Quase sempre nunca é tarde" perfeito!!!

Felipe Malta disse...

Essa foi!
Realmente esse mar te inspirou.
Gostei demais.

Heyk Pimenta disse...

"Abraçando seu corpo caminho

Contido em danças melancólicas"

isso é bom. De resto muito lugares comuns.

lumaranhão disse...

Oi, Rachel
Me senti contemplando o mar...
Como se a brisa tocasse o meu rosto no por de sol...
Lindo!
Que importa os lugares comuns?